quarta-feira, 18 de março de 2009

Tumba, Tomba, Tõmba



O verbo "puxar" tem algumas subtilezas na língua estónia. Após dois meses de gesso (a fíbula, claro, ou ex-perónio), acabo de chegar dos Correios. Sou bípede, novamente (ou finalmente). Daí o meu trauma ao esbarrar no autocolante verdinho: "Tõmba" não é, hoje por hoje, dos étimos mais convidativos. Felizmente que não tenho queda para as línguas.

Sem comentários:

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.