Avançar para o conteúdo principal

Só eu sei mais ninguém sabe, ninguém!



Nítido, nítido, só percebo "Arquimedes", que por acaso até rima com "Mercedes". O meu domínio da língua estónia é bem sofrível. Estacionei no velho provérbio (sim, o tal do provecto quadrúpede...). Este "Não sei, Não Sei" foi um grande êxito do Ivo Linna nos idos 80, era este país um pedaço de URSS.

"Ninguém, Ninguém" foi também o meu grande êxito de faculdade. Tardiamente concluí que Marco Paulo também ia às feiras alemãs comprar as músicas que, uma vez letradas, se converteriam em sucessos no atlântico rectângulo.

O mundo mudou muito. As decepções, ou surpresas, acontecem. Menos mal: já ninguém me poderá tirar as emoções sentidas na minha infância. Ignorância. Dica: clique no play dos dois em simultâneo.

Comentários

dora disse…
http://www.rockhotel.ee/tean.htm

( .... mas ninguém, ninguém poderá mudar o mundo ; )
João disse…
Lindo, Maravilhoso, Balbuciante... deixou-me de boca aberta, e ao mesmo tempo com aquele sentidozinho de vitória "Eu sabia que conhecia aquela musica (do Ivo) de algum lado"... Ora pois...
Sophia disse…
se os brasileiros o fazem com os americanos, porque não poderá o Marquito fazê-lo?...

Medo...muito medo...
Miss M. disse…
E viva á igualdade....até na desgraça !

Nem sei o que faço de mim depois de descobrir uma coisa destas...
TB disse…
Genial!

Isto deixa-me descansada. Está mais uma vez provado que se há música má em Portugal, a culpa não é nossa. É do pessoal de fora.

É tipo fast-food: vem prontinha, é só arrancar-lhe o seu idioma e colocar-lhe o nosso (que não soa nada mal!), et voilá! Sai um sucesso como "Ninguém, ninguém".

Genial. Outra vez.

Mensagens populares deste blogue

19 kinds of girls who bruise my soul

By João Lopes Marques (Eesti keeles)


There was a time, not too long ago, I believed I had become a misogynous guy. False. I wasn’t. Then I started fearing I was slightly gynophobic. Nope. I was just afraid to bump into another stupid girl. It wasn’t easy to understand it but 10 or 15 years later I realize I’m just too sensitive to 19 specific species of women. Indeed, I can even turn intolerant in presence of one of them. Such a phenomenon can be either personal taste or old trauma, I know. However, I don’t care anymore. I just confess the following kind of females have the power to bruise my soul:


1- The hologram girl

You think everything is fine, that that closeness is real, and you stretch your arm. Of course you wanted more and she let you play that game. For a week. A month. Sometimes even for years. Helàs! Now you understand you were living in a dream. “Why did she give me so many wrong signs”, you wonder; “João, I’ve seen you always as a very good friend”, she states.


2- The drink-…