terça-feira, 29 de setembro de 2009

O homem que mascava

Passava os dias inteiros a mascar. Pelo que, na tarde em que — por inépcia ou distracção — engoliu a pastilha, viu-se obrigado a mascar-se. Mandibularmente evoluído, Jorge Estêvão fê-lo com particular requinte. É aquela bola de carne, qual almôndega nojenta e mastigada, que por pouco não pisávamos à entrada da sala.

Sem comentários:

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.