terça-feira, 27 de outubro de 2009

Petersburgo

Não há nada neste mundo (nem no outro, haja ele) mais admirável do que os Invernos de Petersburgo. São de uma matemática coerência. Rigor: o termómetro finta o zero e o Rio Neva gela. É bonito de se ver e, só deste momento, até me dá vontade de ir já a correr buscar os patins.

Sem comentários:

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.