sábado, 24 de outubro de 2009

Florais de Bach

Quiseram tirar Bach à Parede, mas esqueceram-se dos tubos nos órgãos. E da bravura dos clavicórdios da Linha, sempre aliada à tenacidade das espinetas de Algés. Mais do que uma coincidência, foi nesse mesmíssimo ano que se deu a revolução dos cravos.

6 comentários:

ioba disse...

muitas mais vezes do que gostava acontece-me ler textos de que gosto, até muito, mas não percebo nada. niente. patavina.
isso é desconfortável.
mas sei que "tirar Bach à Parede" é repetente no Circo Vicioso.

sónia disse...

Mas só houve a revolução por causa dos florais de Bach, daí o nome cravos.

João Lopes Marques disse...

Obrigado, Sõnia, já flori a coisa no título. Melhor.

sónia disse...

Só vim cuscar este, porque tive uma estranha sensação de déjà-écrit. Que susto!
:*

João Lopes Marques disse...

E só de pensar que há trinta e tal florais... :-)

sónia disse...

E um deles tenho cá em casa chama-se "Rescue", em forma de rebuçados, e o objectivo é apaziguar os ânimos exaltados. Ainda não experimentei. Os ânimos estão estáveis, mas não vá o diabo tecê-las e dar-me a vontade de entrar em revolução. :)

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.