sábado, 10 de outubro de 2009

Vida(s)

Ágata vivia de tal forma a vida dos outros que se esquecia de viver a sua própria. Por vezes acreditava até que não estava viva. E não estava mesmo, pois fui eu que a inventei agora (agora mesmo).

2 comentários:

Cachorro que Late disse...

Joao, tenho vc no twitter. Eu gosto tanto da capa do teu livro, mas não consigo achar do que se trata. Pode ajudar? Bj/Vanessa

João Lopes Marques disse...

É só clicar nela, Vanessa. Fico feliz por gostares. O romance é sobre a descoberta portuguesa da Austrália...

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.