terça-feira, 17 de novembro de 2009

TGV

Pouca-terra, pouca-terra, pouca-terra... O comboio segue imparável. Imperturbável. Vai desembestado na sua linear marcha: pouca-terra, pouca-terra, pouca-terra... E, de facto, terra é o que não abunda ali. É natural, pois este é um expresso (e bem veloz, ou cafeínado, por sinal).

Sem comentários:

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.