segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Fantochada

Que não lhe chamassem "fantoche". Era Roberto. Um roberto.

5 comentários:

Sophia disse...

como digo...divinal ^^

Miguel Palma disse...

A mania dos fantoches quererem ser actores...
A história do José Sousa chega a ser confrangedora. Cansado de ser visto como o pau mandado que, de facto, era, ganhou vida e jurou pegar fogo a toda a companhia de teatro de marionetas. Num dos seus acessos de raiva, chegou a gritar bem alto: "Eu sou o Sócrates!" O grupo de actores, primeiro perplexos e até incomodados com a metamorfose do seu Zé, começaram, a pouco e pouco, a ter pena dele...Sócrates...que delírio...
Infelismente, no dia do planeado incêndio, o José Sousa, que havia sido o mais famoso dos fantoches da companhia, e que enlouquecera com a obsessão de querer ser actor, esqueceu-se de que era de pau e, qual pinóquio, ardeu.

Manuela disse...

Um b*ndão!

Anónimo disse...

Infeli'z'mente você não sabe nem escrever. O que fez durante o fundamental? Quero meu tempo lendo essa merda de volta.

João Lopes Marques disse...

Anónimo, você é merda. Trampa.

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.