domingo, 31 de janeiro de 2010

Posso? Poço

Nunca aqui se relatou desfecho tão irónico. Paradoxal. Khaled, o tal que se dizia ser um poço de virtudes (sem fundo), acabaria empurrado para dentro de si mesmo. E acreditem que muito lamentamos mais este óbito.

3 comentários:

Rocío disse...

Tadinho do Khaled!! :-(

Realmente não imagino pior maneira de morrer do que afogados nas águas das nossas próprias contradições (mesmo que estas sejan virtuosas) ;-)

Sofia Martins Baleia disse...

Possas, deve ter ficado possuído depois de meter o pé na poça.

Manu disse...

Coitado.

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.