domingo, 14 de fevereiro de 2010

Dois semelhantes

O boxer adorava o seu boxeur, assim como o boxeur amava loucamente o seu boxer. A cara de um era o focinho do outro: enquanto o primeiro mordia, o segundo esmurrava-o. Escusado será escrever que nunca deixaram de ser felizes.

3 comentários:

Manu disse...

Torço pelo au au.

Rocío disse...

Eu torço mas é por não fazer "toques" nos contos que lhes façam perder o sentido em castelhano, pode ser? LOL
;-)

Maria Ana disse...

Tenho um certo fascínio por boxeurs.

A brincar ao faz de conta, neste conto, seria o boxer. De caras!

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.