quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Órgãos diligentes

Ainda hoje há os que não têm estômago para aceitar. Admitir. Mas não duvidem que, apesar dos seus maus fígados, Diego jogava sempre com o coração. Era o verdadeiro pulmão da equipa.

3 comentários:

Manuela disse...

Dieguito...pulmão e nariz da equipe;-))

Rocío disse...

Diego era esses órgãos todos mas sobretudo mão (de Deus) ;-)

sónia disse...

Pelo menos não tinha ouvidos de tísico!

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.