sexta-feira, 9 de abril de 2010

As três fracturas estónias



Vá lá, apesar da tradução (portuguesa) da tradução (francesa) da tradução (estónia) do inglês original, o texto existe e é legível. Sai este mês no Courrier International. Às vezes fico espantado com a força de certas ideias. Sobrepõem-se à aparente incomunicabilidade.

2 comentários:

Manuela disse...

Quando li a palavra fraCtura me senti fraturada do português de Portugal.É um fato, ops, é um facto!
No Brasil os salários são bem diferentes para os dois sexos, mesmo com a mesma função.
Os povos aqui se dão bem.Todos. E ainda se misturam.Judeus e árabes convivem muito bem, só como exemplo.
A Estônia e o mundo, ainda vão aprender que só existe uma raça. A Raça Humana. O resto são invenções que não servem para nada.

Manuela disse...

Esqueci de dizer...vc está todo prosa, né não??
Ainda vou à entrega do Prémio Nobel a você...ah, se vou..;-)

Texto bonito e sensível.

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.