quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Balística

Muito gostava o Mauricinho de chupar balas. Fossem doces, das boas, das gulosas, e fazia-o de rajada. Às vezes chegava até a descarregar a metralhadora toda — todinha! — no céu da boca.

4 comentários:

Manuela disse...

É muito bom chupar balas. De morango, mel, hortelã. Estas deixam o céu da boca estrelado e refrescante!

Rocío disse...

Hmmm...És a segunda pessoa hoje a falar(me) em metralhadoras. Será que se aproxima uma revolução?

Austra Lopes Pithecus disse...

A maior e mais actual aproximação que encontro a estes exercícios de balística (mais, até, que a captura de Kadafhi...), é a actuação das agências de rating nas últimas horas. Autêntica "carreira de tiro". Dos Dolomites aos Pirinéus, varreram tudo, com perfuração máxima em Castilla-Leon...

Lai disse...

Doce trocadilho.

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.