segunda-feira, 7 de junho de 2010

Refrão sem freio

E assim berrou o mais pequenito: "Pára papá, pára papá, papá pára, pára papá, pára papá..." Insuficiente estribilho: como conseguiria ele evitar o pior?

5 comentários:

Sofia disse...

Este duplo sentido deixa-me sem ignição...

Manuela disse...

Os pais deviam ouvir mais os filhos.
Ele(pai) deve ter confundido o freio com o acelerador.Mandem soprar o bafômetro..

Manuela- torcendo sem vuvuzela disse...

Num blog globalizado vai dar "briga" na copa do mundo.:))

Eu já começo a cantar:

Posso morrer pelo meu time
Se ele perder, que dor, imenso crime
Posso chorar se ele não ganhar
Mas se ele ganha, não adianta
Não há garganta que não pare de berrar

Refrão sem freio.heheh

Keliane disse...

Afff... Esse seu micro texto está parecendo um parafrase de Isabela Nardoni que foi assassinada por seu pai e madrastra. Minutos antes da criança morrer vizinhos escultaram exatamente essa suplica da menina. Que logo depois foi arremessada de uma janela e morreu nos braços da mãe. Muito triste!!!!

Keliane disse...

Afff... Esse seu micro texto está parecendo um parafrase de Isabela Nardoni que foi assassinada por seu pai e madrastra. Minutos antes da criança morrer vizinhos escultaram exatamente essa suplica da menina. Que logo depois foi arremessada de uma janela e morreu nos braços da mãe. Muito triste!!!!

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.