sexta-feira, 16 de julho de 2010

Já não me rio (de Janeiro)

Do que Carlão tinha mesmo medo era de morrer por causa de uma bala perdida. Muito se equivocava: acabaria por ser o pequenito Sandro quem morreu atrás de uma bola perdida.

5 comentários:

Sofia disse...

The star writer is coming back!...

^^

Manuela disse...

Perfeito este conto.

Do título ao ponto final.É isso mesmo.

mayara mattar disse...

a cada dia, a cada bala, a cada esperança. tudo acaba mais perdido

Rocío disse...

O Joonas no seu maior! :-)

Lígia disse...

Por lá todos correm esse risco... e todo mundo continua a passar correndo!

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.