sábado, 23 de outubro de 2010

Labor

O Fernando — Nando, Fanã, , o que lhe quiserem chamar — trabalha sempre que nem uma formiga. Mais, aliás, muitíssimo mais do que uma formiga. Talvez por isso nunca ninguém nele tenha reparado.

5 comentários:

Obdulio Ortega disse...

Reparamos muito mais nas formiguinhas que, ao passearem por nossa pia da cozinha ou roseira do jardim nos incomodam, do que nos homens-formiga (de muitos nomes ou nenhum) que nos beneficiam.

Anónimo disse...

comparativamente a outros que nada fazem mas trepam pela flexibilidade laboral, o Fê é um herói...taditos, esses outros não entendem que aquilo por que se pelam - o ser reparado - para o Fê tanto se lhe dá como se lhe deu...quem tem real valor não necessita de panágios...já quem não o tem...

Manu disse...

Anónimo do céu. Vc está todo trabalhado na "psicanalise"...fala mais..:-)

Anónimo disse...

Manu, por muito que a minha amiga aprecie a lógica do divã, cá por estes lados só se usam poltronas- daquelas de costas altas e direitas...

Manu disse...

Eu aprecio muito mais a lógica de um circo. Se ele é o Circo Vicioso..então...

Gostei do seu comentário. Foi froids (tradução f***) demais.

Anônimo,não suma.Vc é o malabarista do pensamento.;-)

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.