quarta-feira, 2 de março de 2011

Micro-romance

Insistiram tanto que partilho finalmente convosco a famosa história do escritor e da modelo. Um romance curto que começa (e acaba) assim: "Ela posa; ele prosa."

9 comentários:

Obdulio Ortega disse...

Ela pisa, ele frisa. Ela passeia, ele pesa. Ela empina, ele pena. Ela para, ele pira.

Rocío disse...

Estou hoje não estou virada para prosa mas para poesia (será do Outono?) e ainda por cima azeda (isso deve ser mesmo do vento -forte-) :-)

Que se f*** Platão,
esse grande filho da p***
Vai com Sócrates ao serão
Devolve-me cá a batuta.

João Lopes Marques disse...

Batuta é batota. Batata!

Rita Schultz disse...

ela rosa; ele espinho.

Athena disse...

ela é um abrigo; ele é um míssil.

Patife disse...

Perfeito. E mais não precisa. Fez-me lembrar um pescador-poeta que em tempos conheci. Apenas me disse: "O pescador rema. O barco rima". E também não precisou de mais para ter o meu apreço. ;)

João Lopes Marques disse...

Excelente, Patife.

A concisão por vezes roça a precisão.

Athena disse...

É um Patife com filosofia. Remou e chegou ao ponto.

Austra Lopes Pithecus disse...

Ela posa,formosa e segura. Ele prosa
com latosa mas inseguro.Uma nervosa e ocasional gaguez toma a sua alma e tolhe a sua escrita :m-m-m-m-m-mas...

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.