quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O cara

Era um figurão. Mas (muito, muitíssimo, demasiado) desfigurado.

3 comentários:

Obdulio Ortega disse...

Quantos figurões não fingem representar-nos para, logo após, abstrair-se da presença de quem os elegeu? Os cara-de-pau...

Manuela disse...

Ando com trauma de caras,caretas, carões, picaretas. TÔ de cara..;))

Rocío disse...

Às veces, quanto mais um figurão quer dar nas vistas mais invísivel se torna aos olhos dos outros

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.