segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Russo na roça

Suores frios pingavam da testa de Sasha. Aquele monstro não descolava mesmo. Jogou novamente os olhos ao retrovisor e Oleg estava cada vez mais próximo. Mas como é que aquele sacana o havia localizado? Quem é que lhe dissera que vivia com Irina em Santa Catarina? Se atravessara o Atlântico era para ajustar contas... Sasha ainda temeu o pior, mas os seus receios abrandariam no momento da ultrapassagem. Afinal era apenas o caminhão do gelo.

1 comentário:

Obdulio Ortega disse...

Não é de se duvidar, pois todos acabam por vir para esta terra do porvir, para viver ou revidar.

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.