terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Lusco-fusco

Não era cedo nem era tarde: a noite já caía e o dia ainda tropeçava.

6 comentários:

Rocío disse...

O mais belo Lusco-fusco que alguma vez se viu foi na esplanada do Adamastor.

Lusco-fusco não tem tradução em castelhano. Uma verdadeira lástima!

João Lopes Marques disse...

O pior é quando o lusco é fosco. Mas a esplanada do Adamastor é excelente.

Rocío disse...

Fosco! Acabei de aprender mais uma palavra. Obrigada!

Devía é ser proibido chover em Lisboa.

Talvez ainda traduza este conto: afinal existem as palavras lusco e fusco (com idêntico significado) fica Lusco y Fusco (como Laurel and Hardy) :-)

Manu disse...

Vou cantar:

♫ Deu mole prá caramba
É um tremendo vacilão
Tá todo arrependido
Vai comer na minha mão...♫


o mais importante:

Tirap Tchoron! Tirap Tchoron!
Oh! Ah! Oh! Ah!
Tirap Tchoron! Tirap Tchoron!

(aqui é pra dançar funk...vai..no chão....levantando....mexendo...

ob disse...

Já vivi um perfeito lusco-fusco, em que os raios do sol tardio como que penetravam por entre os corpos, carros, estrada e campos ao derredor. Foi a experiência mais perto da evanescência da existência que tive um dia.

Rocío disse...

:-) Ob

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.