domingo, 27 de março de 2011

Outro patife

Sempre naquela sua voz aguda, adorava dizer-nos palavras graves. Kenneth era um tipo esdrúxulo.

3 comentários:

ob disse...

O silêncio adquire gritante importância quando as necessárias palavras não são ditas no momento adequado. Esses hiatos de som passam a vida a assaltar-nos a lembrança!

Rocío disse...

Adorei!

Detesto as "novas" acepções (oxítona, paroxítona, proparoxítona)... tão pouco inspiradoras hehehe

sónia disse...

...como o cágado, enfim, também demasiado monocórdico no seu andar e olhar.

Ao contrário de Rocío (mil perdões), adoro proparoxítonos, paroxítonos e oxítonos desde que não sejam monocórdicos ;)

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.