Avançar para o conteúdo principal

Pertencemo-nos



Ouvimo-la no táxi.

Comentários

Rocío disse…
Não deixas de me surpreender: Pat Benatar?! Eu dançava ao som dela quando tu ainda andavas a ver Sesame Street :-)
Gostava (eu) mais daquela "Promises In the Dark" mas, pronto, esta também tem a sua piada.

"Ouvimo-la no tàxi...enquanto o báltico já descongelava". Magia.
ob disse…
Além da bela voz, não deixava de impressionar ao garoto que fui, a sua cinturinha de vespa. Uma revolução hormono-cultural para mim...
Anónimo disse…
...ninguém é de ninguém e cada pessoa que passa na nossa vida tem um papel na nossa evolução ou involução, conforme tenhamos a capacidade ou não de digerir o passado para viver o presente e/ou o futuro...caso haja sentimentos profundos, essa pessoa é como uma personagem que só faz sentido numa capítulo já lido...é a vida!
Rocío disse…
Discordo (mas só desta vez hehe), Anónimo: às vezes pertencemo-nos mesmo.
Quando nos entregamos voluntariamente e somos aceites também voluntariamente também: Pertencemo-nos :-)

Mas pode ser do meu romatismo patológico e eu estar enganada
Anónimo disse…
Rocío, que bom que haja casos assim, claro que haverá :), mas há muitos que não o são, erro meu- nunca o foram- e jamais o serão... meras ilusões que só são autênticas enquanto contextualizadas nos momentos pretéritos em que nelas acreditámos, i.e, num passado que nunca será presente ou futuro, pois ele próprio nunca o foi...grande confusão! :)
ob disse…
Quanto a pertencermo-nos... vivemos para conquistar a nossa própria essência e, quem sabe, poder mostrá-la à alguém que queira apreendê-la.

Mensagens populares deste blogue

19 kinds of girls who bruise my soul

By João Lopes Marques (Eesti keeles)


There was a time, not too long ago, I believed I had become a misogynous guy. False. I wasn’t. Then I started fearing I was slightly gynophobic. Nope. I was just afraid to bump into another stupid girl. It wasn’t easy to understand it but 10 or 15 years later I realize I’m just too sensitive to 19 specific species of women. Indeed, I can even turn intolerant in presence of one of them. Such a phenomenon can be either personal taste or old trauma, I know. However, I don’t care anymore. I just confess the following kind of females have the power to bruise my soul:


1- The hologram girl

You think everything is fine, that that closeness is real, and you stretch your arm. Of course you wanted more and she let you play that game. For a week. A month. Sometimes even for years. Helàs! Now you understand you were living in a dream. “Why did she give me so many wrong signs”, you wonder; “João, I’ve seen you always as a very good friend”, she states.


2- The drink-…