Avançar para o conteúdo principal

Estafeta

Quando a meta já nem me interessava, ele esbracejou. Estafado, só pensei em desistir, mas ele gritou pelos quatro. E também esperneou, em jeito de ameaça. E eu só prossegui pelo dever e, sinceramente, nem me recordo de quem chegou à frente. Talvez Hans, porventura o esguio Dieter. Ou o cabrão do Klaus. Mas bastou-me sentir aquele seu bafo suado ao receber o testemunho. Apalpar aquela palma sensível num milésimo de ternura. Permiti-me e confiei. Percebi quão Konrad queria ter-nos todos na mão na sua (nossa) recta reta final.

Comentários

José Lopes Marques disse…
Haja circo!Voltemos ao debate das ideias e ao salutar mas
indisciplinado ( por isso criativo), jogo das palavras e dos conceitos.

No sentido em que o João enquadra e relata a sua Estafeta, encontramos um notável exemplo do que é um trabalho colectivo, necessariamente solidário e perseguindo um ideal comum. Cada elemento tem uma missão a cumprir mas, cumpre-a, só e entregue a si mesmo,visando passar o testemunho, nas melhores condições possíveis ao colega seguinte,tendo porém,de o fazer dentro de um espaço rígido e regulamentado.
Exige-se velocidade mas com rigor e precisão. Passadas a mais serão fatais.Ultrapassam os limites marcados da pista e conduzem à exclusão.
As estafetas desportivas, são um magnífico exemplo e oferecem total "transfer" para as coisas da vida real na sociedade em que vivemos.
Se a sua Noção Superior, é o movimento motor, já, o seu Significado Principal, será a maneira de efectuar e organizar esses actos motores, na base (livre) de uma temática e de uma direcção com que à partida todos se identificam.

Nesta medida, João erra ao interrogar-se sobre o vencedor. Nem o Hans, nem o Dieter, nem o Klaus, nem o Konrad, podem ser vencedores. Ou são todos ou não é nenhum.
O Circo, não deixa de ser uma estafeta...
Este é um conto ainda em construção. A ser diariamente lapidado...
Helga Basler disse…
Entendo tudo em Português, mas escrever mal,descupa erros.Importante é partricipar. Muito interessante o Circo, joão, e o debate também. Felicito. Não entendo lapidado, mas há tanta coisa interessante, já, na Estafeta.
Obrigado. E ao contrário das Melgas, as Helgas são sempre bem-vindas.
Helga Basler disse…
Só uma curiosidade.Surpresa.Como cheguei aqui?...
O veterano "veteran" Peter Adam,lenda do Der Spigel,(infelizmente doente e já retirado (?) "im ruestand",tem um livro seu em sua casa e a filha, a Sabine, disse-me que o Peter Adam apreciava muito o João.
A Sabine lancou um projeto leitura publica para crianças, com muito sucesso. Começou no Essen e já chegou a mais Estados.
Manu disse…
Um jOão que vai além das fronteiras.
Parece mesmo a actual governação da Europa. Péssimos "atletas" e integrar uma equipa de estafetas.

BERLUSCONI, no primeiro percurso, tem a sorte de fazer uma falsa partida não sancionada e lá se aguenta na entrega a ZAPATERO mas, este, perde terreno no 2ºpercurso com um problema no sapato esquerdo e entrega atrasado MERKEL,esta, parece equilibrar-se no 3º percurso mas, desastrada, entrega (como sempre) o testemunho a SARKOZI já depois do limite.

A Europa está irremediavelmente desclassificada mas, Nicolas, finge que não sabe e faz os seus "heróicos" 400m. com os dedos em V, cortando a meta como se nada fosse com ele. Vira-se para a bancada,beija Bruna e pede-lhe um chucha para dar com ela na boca uma volta de honra. Na bancada, TRICHET, pressionado pela próstata vai-ali-e-já-volta.O regresso(mais
aliviado ) ao seu lugar, coincide com o anúncio da instalação sonora: A Europa está
desclassificada.
Uff ! Fiquei cansado com a estafeta (só de assistir) e "comi" o Y ao Sarcozy. Desculpa, lá, Nicolas...
Manu disse…
Esses governantes europeus não são muito diferentes dos da América Latina.Um horror de mediocridade.
Manu disse…
Ufa..que susto, Pithecus. Ainda bem que foi o Y..pq o Sr.
Carla Bruni deve dar congestão..:)))
Manu, você é matadora !...
Eu sou, só, estético e funcional. No plano estético, acho o grafismo do Y muito elegante e desafiante. No plano funcional, inspiro-me nele e fiz um fisga para ir às codornizes...
José Lopes Marques disse…
Manu, Pithecus, aprecio a vossa ironia.
Mas tenho de vos dizer, curiosamente e muito a sério, que acabei de comprar uma Fisga, há 15 dias,quando estive em Tartu na Europeade que, em simultêneo teve uma mostra de costumes medievais hanseáticos.
Eu não vou às codernizes mas, a Fisga, acompanha-me na minha actual encarnação de camionista
transeuropeu...
José Lopes Marques disse…
Codornizes, puxa...
Manu disse…
No Brasil a fisga é uma atiradeira, estilingue..:))

José, vc está na onda do Pithecus virou um caçador...;-))
José Lopes Marques disse…
Manu, você merece o esclarecimento. Não fora isso e hoje estaria de férias : A coincidência da Fisga é, na verdade, interessante,mas não caço nem aprecio grandemente caçadores...

No "perpetuum mobile" da minha vida, com 999 histórias(quase)singulares,em que o denominador comum é a paixão de cruzar os povos e as fronteiras, por terra, há cerca de 20 anos numa travessia transamérica, á medida que me aproximava do Alasca,nos pequenos povoados em zonas inóspitas,primeiro, perguntavam-me para onde ia, depois se eu levava pistola (os ursos,Manu).

A fisga apareceu agora, saída do "alçapão" do meu ID, apenas como piada
e companhia simbólica para as minhas actuais transcontinentais. O Ártico está a derreter e os ursos tem de reaprenderam a nadar. Andam por aí...

Aqui tem, Manú, uma explicação séria, embora quase pareça meu,"Meu pé de laranja Lima", que me foi oferecido em Vitória,Rua 7, Espírito Santo, na exacta semana eu que o Homem chegou à Lua(Julho de 1969),dia em que a TV local me foi buscar para uma entrevista nos estúdios. Estava um calor de matar e eu pedi para deixarem a porta da "combi" aberta para entrar fresco. Ora,nesse exacto momento entrou um colega meu na "combi". Você imaginará!...

Aqui está uma longa e aborrecida resposta,espero tê-la castigado o suficiente, para, qual efeito vacina, não fazer mais perguntas. Vou de férias.
Manu disse…
Eu adorei..ainda mais a falar desse carro que ainda tem nas ruas brasileiras.:)))
Eu estava a provocar, José. Não vá de férias,fique. É um prazer conhecer novos amigos.

Eu adoro um papo;)Abraços.
José Lopes Marques disse…
Então, só mais um bocadinho de papo, antes de eu ficar de papo para o ar .
Na sequência do acontecimento na "combi", o melhor foi no estúdio :Em directo, quando o apresentador contou a história ...

Nessa data, eu tinha 21 anos e fazia uma digressão iniciada no Amazonas e culminada no Rio.

Até breve.
Ici on essaye de parler Estonien.
Manu disse…
uau.......

Mensagens populares deste blogue

19 kinds of girls who bruise my soul

By João Lopes Marques (Eesti keeles)


There was a time, not too long ago, I believed I had become a misogynous guy. False. I wasn’t. Then I started fearing I was slightly gynophobic. Nope. I was just afraid to bump into another stupid girl. It wasn’t easy to understand it but 10 or 15 years later I realize I’m just too sensitive to 19 specific species of women. Indeed, I can even turn intolerant in presence of one of them. Such a phenomenon can be either personal taste or old trauma, I know. However, I don’t care anymore. I just confess the following kind of females have the power to bruise my soul:


1- The hologram girl

You think everything is fine, that that closeness is real, and you stretch your arm. Of course you wanted more and she let you play that game. For a week. A month. Sometimes even for years. Helàs! Now you understand you were living in a dream. “Why did she give me so many wrong signs”, you wonder; “João, I’ve seen you always as a very good friend”, she states.


2- The drink-…