quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Sermão ao salmão do rei Salomão

— "Sushi"? — indagou o curioso monarca.
— Não, "Sasha", magestade — respondeu-lhe o peixe deixando escapar um rubor ainda mais rosado do que lhe era habitual.
— "Majestade", leva jota — corrigiu realeza.
— Assim seja.
— É mesmo!

Um inusitado silêncio gritou no salmão, aliás, no salão de audiências. Ainda hoje se comenta que nunca o rei Salmão, aliás, Salomão se deixara assim levar pela nervoseira. Há até quem garanta que a impiedosa ordem lhe saiu com gaguez:

— Sushi!
— Sas... — ainda tentaria corrigir o orgulhoso salmão.

Mas de nada nos vale insistirmos: por alguma razão, aqueles dois colidiam mesmo.

Sem comentários:

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.