segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Radical livre

Isso de réveillons, ainda por cima em pavillons, e com papillons, era para gente triste e cinzenta. Maurício gabava-se de festejar apenas noites de Ano Nono.

1 comentário:

Manuela disse...

Muito bom, João..
Cadê o Homo sapiens????

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.