quarta-feira, 5 de junho de 2013

Tetas

Às vezes, a velha Ragnhild conseguia ter alguma piada. "Sabes qual é a diferença entre uma acrobata e uma gorda como eu?", perguntou-nos. Houve quem diplomaticamente encolhesse os ombros, embora eu já tivesse escutado algo semelhante da boca dela. "Uma bate com os joelhos nas mamas e a outra com as mamas nos joelhos." Foi um momento estranho. Talvez porque só Sven tivesse a liberdade de soltar uma sonora gargalhada.

2 comentários:

Austra Lopes Pithecus disse...

No final de um bom número de circo como este, o "speaker" invariavelmente exclama: Magnífico !
Por mim, apenas uma perplexidade: Trata-se de uma contorcionista boa ou uma boa contorcionista ? È, que, estas não podem ter mamas...

Rocío disse...

Que bom (re)encontrarte aqui no Circo, Phitecus (ainda por cima neste número da contorcionista boa) :)

Haiku de merda

Levava uma Fuji, Mas do monte fugi, Sim, do Monte Fuji.