sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Paixão, paixões

Depois daquela noite romântica, é claro que Karl-Heinz só a podia pedir em casamento. E até poderiam ter sido (muito) felizes não lhe tivesse Birgitt pedido breves segundos para pensar (reflectir). Uma paixão não se negoceia às metades.

1 comentário:

Sophia disse...

Os sentimentos reais não têm forma de serem negociados...

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.