sábado, 2 de janeiro de 2010

Bromidrose

Pois preferia sentir o suor escorrendo na palmilha. A transpiração vertida em odor. Regina recusava-se a usar peúgas. As meias deveriam ser inteiras.

2 comentários:

Manuela disse...

Bom ser criança..

O sapo não lava o pé
Não lava porque não quer
Ele mora lá na lagoa
Não lava o pé porque não quer

Mas que chulé!!!

sónia disse...

A Regina não sabe que meia é meia e não inteira?
Pobre coitada, a sua água vertida pelos pés era "bromosa", fétida, podre. E por que razão se chama chulé a essa hidratação? Será para rimar com pé? Ainda se fosse chiulé... à maneira de interjeição...

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.