terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Etílica distracção

Karl-Heinz havia pedido um uísque em balão (aquecido). Por acaso até era dos mais caros da lista. Contudo, antes que pudesse dar o terceiro trago, e talvez por distracção, deixou-o escapar por entre os dedos. Ainda lá está colado ao tecto do bar.

6 comentários:

Rocío disse...

Isso é que é um "frango" à maneira :-)

Manuela disse...

Se colou no teto não devia ser essas coisas..
Veneno puro.

sónia disse...

Na Portela de Sacavém ou em Istambul?

João Lopes Marques disse...

E ainda lá está agarradinho ao tecto... Vê-se bem daqui...

Manuela disse...

ah...vc encheu os canecos e enxerga coisas...

Maria Ana disse...

Dez dias depois ainda o consegue ver, agarradinho ao tecto?
Confesse lá, João, no fundo você ficou com 'água na boca' de imaginar aquele uísque ("um dos mais caros da lista") ser desperdiçado, assim, por mera distracção.
Ao menos que fosse por convicção, com coragem! Mas distracção...
Não se consuma por causa disto, pense como eu: há males que vêm por bem! Vai sentir-se mais aliviado. Mesmo!

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.