sexta-feira, 15 de outubro de 2010

É da vida

Na tarde em que viria a morrer (falecer), Raul lembrou-se que estava bem vivo.

4 comentários:

Rocío disse...

Bueno... más vale tarde que nunca.

Obdulio Ortega disse...

O ser morrediço, antes de partir, pariu uma última lembrança, visualizou a última paragem, parolou o último verbo e expirou mais uma vez.

Isabel Metello disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Isabel Metello disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.