sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Macropoesia

Sim, há poemas que são universos.

2 comentários:

ob disse...

Mesmo em poucas palavras, o João disse tudo e, caso dispuséssemos de um tipo especial de microscópio aurículo-oral-visual potente o suficiente, poderíamos perceber universos inteiros em cada vernáculo proferido, em cada pausa expressa, em cada letra pousada no papel... (perdão, tela).

Lígia disse...

Sim, há.

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.