quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Puré de batota

O que ele lá fazia, nunca percebemos muito bem. Deixava-as desfeitas.

Sem comentários:

Haiku de merda

Levava uma Fuji, Mas do monte fugi, Sim, do Monte Fuji.