Avançar para o conteúdo principal

Direcção geral

A cada passo em frente, a convicta Marianne dava dois para trás. Mais um à frente, mais dois atrás. Por vezes víamo-la até a viajar de costas na passadeira rolante do Pompidou. Mais importante, e estranho, continuava a avançar, a avançar sempre. Tudo depende da direcção.

Comentários

Anónimo disse…
acerta o couchon-mor...as direcções sempre foram contrárias e ainda bem..sinal de que as galochas não trazem o chiqueiro disfarçado de plateau cheio de charme para trás...
Anónimo disse…
...aliás, Marianne faz questão de andar em sentido contrário, dado que não há Pompidou que safe quem tanta porcaria esconde por detrás...
Anónimo disse…
...até porque: de novo, a mesma pergunta de retórica- porquê tanta azáfama dos couchons-mor para proteger a própria pele ? Ao menos, Mariannne não protege a sua pela sua, Valores muito mais Altos se Levantam e Marianne está no seu posto até ao Fim...go and tell your little friend...how! the so called "gentleman" already knows! tuff luck!
Quanta amargura, "Anónimo"! Volte sempre, tentaremos ajudar (auxiliar).
Marianne de modo sábio lançou perplexidades.A prova está à vista!...Jonas, bem poderia ter titulado:A ANÁLISE E OS FENÓMENOS COLATERAIS DA ESTRANHA CAMINHADA DE MARIANNE. "Tudo depende da direcção", disse ela! Inteligente ,provocante charmoso.Afadiguem-se, comentadores, na descoberta dos desígnios de Marianne:Fá-lo porque cia*?Fá-lo pelo cio? Fá-lo, porque é cedo para chegar ao seu gabinete (na Direcção-Geral)? Ou, fá-lo, para evitar tirar o soufflé do forno antes do tempo ?
Em tempo: não confundir com CIA, é antes, a forma de forma de progredir remando para trás ou ao contrário.
Manu disse…
..acho que ela tem uma alma mineira.Só não acertou o passo..acorda menina...:)
ob disse…
Na direção do progresso, no sentido da evolução. Quanto cada vez mais adiante andarmos, mais perceberemos o tanto que devemos voltar, até o ponto ao que somos essencialmente.

Mensagens populares deste blogue

19 kinds of girls who bruise my soul

By João Lopes Marques (Eesti keeles)


There was a time, not too long ago, I believed I had become a misogynous guy. False. I wasn’t. Then I started fearing I was slightly gynophobic. Nope. I was just afraid to bump into another stupid girl. It wasn’t easy to understand it but 10 or 15 years later I realize I’m just too sensitive to 19 specific species of women. Indeed, I can even turn intolerant in presence of one of them. Such a phenomenon can be either personal taste or old trauma, I know. However, I don’t care anymore. I just confess the following kind of females have the power to bruise my soul:


1- The hologram girl

You think everything is fine, that that closeness is real, and you stretch your arm. Of course you wanted more and she let you play that game. For a week. A month. Sometimes even for years. Helàs! Now you understand you were living in a dream. “Why did she give me so many wrong signs”, you wonder; “João, I’ve seen you always as a very good friend”, she states.


2- The drink-…