terça-feira, 22 de março de 2011

Tempo perdido

8 comentários:

Manuela disse...

Roxette ainda vais matar o João do coração.É muito amor:))

Denís disse...

Bom día!
Gustaríame saber se é posíbel atopar o seu libro "Minu ilus eksiil Eestis" en portugués (ou inglés, ás malas) nalgún lugar ou libraría, de Estónia ou do mundo.
Vin que pronto vai ser a estrea dunha, cecais, segunda parte! Tenho moita curiosidade polas súas letras, mais non entendo (aínda) o estoniano. Mágoa!
Grazas, e saúdos dun galego, tamén exiliado.

João Lopes Marques disse...

Bom dia, Denís. Obrigado pelo teu interesse. Em tempos conheci um galego no Hell Hunt, mas não estou certo de que fosse Denís. Há dias vi-o por lá... És tu? :-)

Sobre a tua pergunta: infelizmente, estes livros só têm saído em estónio. Os originais são em inglês e ainda não estão publicados. Talvez dentro de um ano façamos uma antologia. De vez em quando publico alguns no blogue, mas para já é tudo.

De todas as formas, aparece no Hell Hunt para a semana! Ficamos a conhecer-nos melhor.

Já agora, em Abril vou lançar a Portugal um livro sobre... Portugal e Espanha. Chama-se "Iberiana".

Um abraço,

João

Denís disse...

Haha, aínda caio de cando en cando polo HellHunt, mais non lembro ter coñecido ningún portugués...

En calquer caso, grazas polas informacións! É unha grande mágoa non poder disfrutar do libro en formato físico, mais bon, seguirei atento ao blogue.

Segundo entendo, a presentación é o xoves (quinta) ás 18 i eu a esa hora traballo (en realidade, traballo até as nove e media da noite e de seguro xa rematou todo pra entón).

Se callar, verémonos nalgunha outra ocasión.
Unha aperta!

João Lopes Marques disse...

Certo. Denís. Adoro ler galego, é para mim uma autêntica viagem no tempo. Um dia destes combinaremos algo. Mas se quiseres passar por lá depois das 21h30 seguramente que ainda por lá estaremos quase todos... Um pouco oblíquos, muito oblíquos, mas estaremos...

:-)

Um abraço!

João

ob disse...

Ler o que o Denís escreve é muito gostoso. Seria muito divertido vê-los, ao Denís e ao João e sua turma, um pouco oblíquos, muito oblíquos, confabulando em galego sobre a obliquidade da vida. Certamente, não perderia o meu tempo.

Manuela disse...

Isto aqui virou a ONU..

CAIO disse...

Melhor "Tempo Perdido" mas sem tradução, o da "Legião Urbana"! Isso me deu vontade de ouvir Legião...

Moleiro

Tinha aveia para o negócio.